domingo, 26 de abril de 2015

Opacidade

"Quando a luz é emitida de uma determinada fonte, ela passa a se propagar com uma velocidade de 3.105 km/s, isso para o vácuo, ou seja, na ausência de matéria. No entanto, a luz também pode se propagar em outros meios além do vácuo..."

com Anelise Freitas



sentada no ônibus
no calor das três da tarde
eu pergunto
de que lado tá o sol

e num dia de inverno
o mormaço quase sumo
me convida
e pergunto
de que lado tá o sol

sou corpo opaco
e tens-lúcido a
certeza de que se
fosse eu negro
ideal
'inda assim
perguntaria
de que lado tá o sol

na praia eu pergunto
de que lado tá o sol
vitamina D-eus que
eu nem sei se
preciso

porque o mar é uno
e o rei dos judas
multiplico

Poema escrito há mais de um ano, mas postado só agora. Em resposta ao então manifesto da translucidez, em dedicatória-comunhão, da minha quebradora de muros que sempre faz com que o sol passe pelo buraco do tijolo quebrado.

Um comentário:

  1. Poema realmente muito lindo. Gostei da ''pegada'' de óptica geométrica na citação logo no início do poema.

    ResponderExcluir

Caixa de sentimentos. Expresse-se.