sábado, 4 de maio de 2013

Irredutível


Aconteceu como num filme. Ela muda de escola, ela mostra uma música, eles começam a conversar. E eles são praticamente iguais. Ela conta seus medos, suas preferências reais, que só ele entende e é capaz de gostar também. Começam a andar juntos e se perguntam porque demoraram tanto tempo para se conhecerem e serem amigos. Os filmes são os mesmos; as músicas, iguais. As conversas são diferentes, a inteligência se atrai. Ela pensa “meu amigo, meu irmão, ele me entende”. Ele pensa “minha amiga, minha vida, meu amor”. Pensamentos se chocam, interesses diferentes. As conversas diminuem quando tudo é revelado. Tentar conciliar as coisas fica meio complicado. Férias chegam, passam e a rotina volta. As conversas de dias inteiros viram poeira digerida nas matérias do fichário. E o amor dele nem em “bom dia” se transforma. 

Miniconto ou "médioconto" (vai saber!) escrito em 30 de agosto de 2009 e originalmente postado no Rua das Ilusões, meu antigo blog. Para ver o post original, clique aqui.

3 comentários:

  1. Triste. Ainda bem q não foi assim conosco

    ResponderExcluir
  2. Li em um texto uma vez que amor é derivado do leite depois de aberto estraga facilmente :(

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bruna! Tudo bem?

    Conheci teu blog agora, da mesma maneira curiosa que conheci inúmeros dos melhores blogs que conheço: lendo o blog de uma amiga e resolvendo visitar um link citado.
    No caso, estava lendo o blog da Marcela (Cotidiano) e acabei chegando aqui para ler tua postagem sobre o Dia do Blogueiro.

    Li do início ao fim e confesso que fiquei arrepiado. Uma pena eu não ter me dado conta desse dia para escrever um texto retrô com a minha trajetória que, coincidência ou não, também começou em 2004 como a tua... Outro fato curioso é que, naquela época, eu tinha exatamente a idade que tu tens hoje, 19 anos.

    Hoje, com 27 anos (e a senilidade cada vez mais próxima), me deparei com o brilhantismo das tuas palavras naquele post e fiquei feliz da vida em descobrir uma colega blogueira da "velha guarda" como tu bem disseste. Inclusive copiei este parágrafo que chamou imensamente a minha atenção:

    "A gente comentava porque gostava, porque as ideias batiam, porque era legal comentar e ver que alguém realmente tinha parado e lido o que você tinha escrito."

    Além deste, o último parágrafo também contém verdades indissolúveis e a estampa genuína dos primeiros blogueiros, aqueles que forjaram sua história em textos com poucas imagens e muito conteúdo, interação e força de vontade.

    Olha, fiquei realmente contente em conhecer teu espaço. Ainda não li este post no qual estou comentando, o "Irredutível", mas vou fazê-lo em seguida e assim permanecerei te visitando, vou inclusive te adicionar à minha lista de favoritos. Além de tudo, és mineira, terra que eu adoro e que visitarei em junho para o casamento de uma amiga que conheci através do meu blog, a Ana Flávia. Será a primeira vez que nos veremos pessoalmente. =)

    Um grande beijo pra ti, guria, muito sucesso e parabéns pela trajetória. É um prazer encontrar pessoas do teu calibre na blogosfera.

    ResponderExcluir

Caixa de sentimentos. Expresse-se.