quarta-feira, 5 de setembro de 2012

O ler


Certo dia me perguntaram "o que era leitura". E eu, meio ingênua, respondi mais ou menos assim:

Ler é sempre "mais" e "melhor". Mais conhecimento, melhor escrita, mais vida, melhor vocabulário, mais experiência. Principalmente experiência. Se duas pessoas começarem a ler o mesmo livro, ao mesmo tempo, terminando-o no mesmo dia, ainda assim a experiência que cada uma teve será diferente da outra. Isso é o mágico da leitura: a possibilidade de, num mesmo mundo escrito, termos vários mundos nas mais diversas formas, e dos jeitos que cada um os enxerga. A leitura é universal, alcançável e totalmente libertadora. Quando lemos, além de nos inserirmos nesse mundo ao qual estamos submersos através das letras, passamos a fazer parte dele, e ele passa a fazer parte de nós. Além de participarmos, temos a oportunidade de visitar a percepção de alguém sobre determinado ponto, tendo a liberdade de utilizar, memorizar, guardar ou passar essa informação para frente. Aprendendo a entender essas percepções, nos tornamos aptos a testemunhar e relatar nossa própria história, e passamos a ser os autores e protagonistas de nossas vidas. Cada livro novo é como aprender novamente a andar, a falar ou a ver as horas no relógio de ponteiro. E não precisamos ser necessariamente crianças para isso: esse aprender se renova em qualquer idade e a qualquer momento. Basta parar por um momento, abrir um livro e se entregar.

Ler (lat legere) vtd 1 Conhecer, interpretar por meio da leitura 2 Conhecer as letras do alfabeto e saber juntá-las em palavras 3 Pronunciar ou recitar em voz alta o que está escrito 4 Estudar, vendo o que está escrito 5 Decifrar ou interpretar bem o sentido 6 Decifrar, perceber, reconhecer 7 Inquirir, perscrutar. (fonte: Michaelis)


6 comentários:

  1. Na espera pelo dicionário Montes Werneck :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! hahahahaha Quem me dera um dia ter essa moral! Obg, Gusta! :)

      Excluir
  2. Então dá um jeito de terminar Dexter, q eu sou o próximo!!!

    ResponderExcluir
  3. Depois de ler o texto eu lembrei do poema da Cecília Meireles, Motivo, que eu recitei na minha formatura do ensino médio chorando no passado.

    "Eu canto porque o instante existe
    e a minha vida está completa.
    Não sou alegre nem sou triste:
    sou poeta.

    (...)

    Sei que canto. E a canção é tudo.
    Tem sangue eterno a asa ritmada.
    E um dia sei que estarei mudo:
    — mais nada."

    Se substituirmos "canto" por "ler/escrever", o sentido sempre será o mesmo: amor verdadeiro. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba! AMO "Motivo"! E o que você disse, Adriel, é a mais pura verdade: só o amor nos faz ter motivos! :')

      Excluir

Caixa de sentimentos. Expresse-se.