domingo, 11 de março de 2012

Saudade demais, domingos reais


Domingo à noite. Os últimos pingos de chuva caindo na janela. Um sentimento em comum: saudade. Daquilo que vem, daquilo que vai. Daquilo que vem do que vai. Estamos fadados a isso e, ainda assim, sorrindo. A saudade dói, mas se pararmos para pensar, anestesia. Porque senti-la nos obriga a buscar as lembranças de pessoas que nos fizeram felizes. E por mais que fira, cura. O sentimento mais presente nas poesias e canções. É obrigatória no amor. Tentamos matá-la, mesmo que temporariamente, longe ou perto de quem sentimos saudade. Relemos cartas, revemos fotos, reviramos a memória. Fechamos os olhos e, ao mesmo tempo, abrimos um sorriso sem mostrar os dentes, o que condena estarmos sentindo a desesperada necessidade de puxar aquela pessoa do nosso pensamento para junto de nós. Além de tudo isso, é um sentimento completamente próprio da língua portuguesa. Os ingleses sentem falta. Nós sentimos saudade. E existe uma grande diferença (mesmo que paradoxalmente possa ser uma linha tênue, em determinados casos) entre “I miss you” e “eu sinto saudade”. Saudade é medo, amor, distância, ontem, a música que você ouviu hoje, o beijo que você não deu, o amor que você recusou, o momento que você desperdiçou, a mão que você pegou, a ajuda que deu, o jardim que regou, o texto que você acabou de ler, a pessoa de quem você acabou de lembrar, a cama desarrumada em um domingo chuvoso à noite. Tipo agora.

Texto originalmente postado no blog Depois dos Quinze em julho de 2010 que parece retomar o sentido neste específico domingo em março de 2012.

8 comentários:

  1. Adorei o texto.

    Eu também tenho saudades. Tenho saudades do tempo em que minha única obrigação era arrumar minha cama ao despertar; saudade do tempo que eu não sofria por amores e nem perdia noites de sono porque alguém deixou uma enorme marca no meu coração; saudade do tempo em que eu não conhecia aquela pessoa que sempre que vejo deixa minhas pernas bambas! :-)

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, que bonito isso que você escreveu! Realmente. A nostalgia nos pega de jeito às vezes. O melhor a fazer é lembrar sempre do que foi bom e aprender a lidar com as novas obrigações! :)

      Excluir
  2. Poxa linda! Depois de ler isso fiquei com muita saudade de vc!! E olha q vc acabou de sair da minha casa! Devia ter te dado mais um beijo, pelo menos mais um, sabe...
    Daqui a pouco darei, com juros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu quisesse te dar um beijo toda hora que eu ficasse com saudade, você não poderia sair do meu lado por um minuto sequer!

      Excluir
  3. Caramba, e eu achava que o "Depois da despedida" n'ao tinha como ficar melhor!!

    ResponderExcluir

Caixa de sentimentos. Expresse-se.